Translate

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

É mesmo a tal Catapora

                                                         Chaves em: A Catapora da Chiquinha

Levei o pequeno na pediatra só para confirmar minha suspeita, é catapora. Ele teve febre a noite, tem bolhas por dentro das palpebras e na boca, sem falar na cabeça que é onde mais tem.
Várias amigas minhas passaram por isto nestes 2 últimos meses, sempre que soube evitei de meus filhos terem contato com alguém com catapora, mas não adiantou. Como disse a médica: está no ar!

Esta matéria eu achei no Google, no site http://www.cives.ufrj.br/informacao/varicela/var-iv.html  e achei bem interessante pra quem quer saber mais sobre a catapora.

Transmissão
O ser humano é o único hospedeiro natural do vírus varicela-zóster. A infecção, em geral, ocorre  através da mucosa do trato respiratório superior (porta de entrada). A transmissão do vírus ocorre, principalmente, pela secreção respiratória (gotículas de saliva, espirro, tosse) de um indivíduo infectado ou pelo contato direto com o líquido das vesículas. Mais raramente, a transmissão se dá forma indireta, pelo contato com objetos recém-contaminados com secreção das vesículas. É possível ainda a transmissão da varicela durante a gestação, através da placenta.
O período de maior risco de transmissão começa 48 horas antes do aparecimento das vesículas e vai até a formação de crostas em todas as lesões. Em crianças previamente saudáveis este período é de geralmente 6 a 8 dias (4 a 6 dias após o surgimento das lesões na pele), porém pode ser mais prolongado (até meses) em indivíduos com imunodeficiência, perdurando por todo o período de surgimento de novas lesões (vesículas).
A varicela é uma doença altamente transmissível. Cerca de  90 % dos contactantes domiciliares susceptíveis de um pessoa com varicela podem adquirir a doença. O risco é elevado em situações de contato próximo (como o namoro) e de permanência em um mesmo ambiente (fechado) por mais de 1 hora, como comumente ocorre em creches e salas de aulae, eventualmente, em enfermarias e salas de espera de consultórios.
O período de incubação da varicela varia de 10 a 21 dias (comumente entre 14 e 16). Após a infecção, a maioria das pessoas apresenta manifestações clínicas. Algumas vezes, no entanto, as manifestações são muito discretas e a infecção pode passar desapercebida. Os indivíduos infectados, mesmo aqueles que apresentaram doença leve, desenvolvem proteção (imunidade) permanente. O sistema imunológico controla a replicação viral e, na maioria das vezes, o indivíduo evolui para a cura da doença, mesmo sem tratamento específico. Contudo, os mecanismos de defesa  não são suficientes para eliminar completamente o vírus, e o agente infeccioso permanece latente no organismo por toda a vida e pode ser transmitido durante os episódios de reativação (herpes zóster).
Riscos
O risco de transmissão de varicela existe em qualquer lugar do mundo, especialmente nas áreas urbanas com grandes aglomerados populacionais. É uma doença altamente transmissível, comum em crianças. A varicela pode ocorrer durante o ano todo, porém observa-se um aumento do número de casos no período que se estende do fim do inverno até a primavera (agosto a novembro), sendo comum, neste período, a ocorrência de surtos em creches e escolas.
A maioria da população de adultos em áreas urbanas é imune (geralmente mais de 90% nos grandes centros), uma vez que teve a doença na infância. A ocorrência de varicela, no entanto, tende a ser menor em áreas rurais, resultando numa maior proporção de adultos que não tiveram a doença na infância (susceptíveis), sendo particularmente preocupante a possibilidade de que estes indivíduos adquiram a doença (com maior risco de formas graves nesta faixa etária) ao migrarem ou viajarem para áreas urbanas.
Manifestações
Em crianças, em geral, as manifestações iniciais da  varicela são as lesões de pele. Em algumas pessoas (mais comum em adultos) pode ocorrer febre e prostração, um a dois dias antes do aparecimento das lesões cutâneas. As lesões de pele surgem como pequenas máculo-pápulas ("pequenas manchas vermelhas elevadas"), que em algumas horas tornam-se vesículas ("pequenas bolhas com conteúdo líquido claro"), das quais algumas se rompem e outras evoluem para formação de pústulas ("bolhas com pus") e posteriormente (em 1 a 3 dias) formam-se crostas. Em geral, ocorrem 2 a 4 ciclos de novas lesões, resultando em cerca de 200 a 500 lesões, que causam intenso prurido ("coceira"). As primeiras lesões comumente aparecem na cabeça ou pescoço, mas a medida que estas evoluem, rapidamente vão surgindo novas lesões em tronco e membros e também em mucosas (oral, genital, respiratória e conjuntival), sendo freqüente que os  diferentes estágios evolutivos (pápulas, vesículas, pústulas e crostas) estejam presentes simultaneamente.  A evolução para a cura, comumente, ocorre em até uma semana, embora lesões crostosas residuais possam persistir por 2 a 3 semanas e algumas pequenas cicatrizes permaneçam indefinidamente.

Vale a pena dar ler a matéria na integra, a meu ver a Catapora já deveria ter tido a vacina no calendário de vacinas pagas pelo governo, uma vez que quem foi infectado pela Varicela ( catapora ), pode futuramente desenvolver a Herpes Zoster ( forma bem mais grave da Varicela Zoster- Catapora ). Infelizmente não consegui protejer meu filhote.
Agora vou é mimar, e muito, meu pequeno, que está manhoso e abatido. Acho até que ele vai ganhar um Max Steel novo. 
 

4 Comentários:

Mariana disse...

bah, que droga isso.
eu me lembro de ter tido, foi um sacoooo, não podia coçar, aquela coisa toda.
mas acho que o gabi foi vacinado. nem sabia que tava dando direto em poa, soube que ta dando é surto de sarampo - importado da argentina....
melhoras pras crias...
mariana do diario da mariana

Virginia Hortela disse...

Estou na torcida da melhora do filhote! Você sabia que eu não tive catapora? Minha irmã e irmão tiveram e eu não! As minhas filhas também tiveram e eu não peguei...e nem vou! Já pensou? Eu já vóvó com catapora???...rsrsrs, com certeza não terei mais, já estou imune. Adorei sua visita! Mil beijos amiga e que a tal da catapora dê o fora o mais rápido possível. Virginia.

Bia Carvalho disse...

Virginia, vc acaba de me dar esperança, minha filha tá com 10 dias que saíram as bolhinhas, e ja estão todas secas, nunca peguei, e tive mto medo, pq somos só nós duas, e dá mto dificil pra dar conta de tudo sozinha por aki, se eu pegar tbm, como vou cuidar dela, trabalhar, etc... To com tanto medo, mas nenhum sintoma ainda eu tive, vi seu exemplo, e te pergunto, tem alguma chance mesmo de q eu passe por essa sem ser infectada, to em pânico aki???

Candi Doces disse...

Bia, meu filho já está com a bolhinhas praticamente secas, eu que estou cuidando dele direto, estamos procurando evitar da mana pegar, ela tem provas dia 13 e 17 de outubro e não gostariamos que perdesse, eu mesma nunca tive catapora e até agora não tive sintoma nenhum, e já faz 11 dias que o Micael está com catapora.
Espero que sua filha melhore logo, e que você passe por essa sem pegar a catapora.
Beijinhos

Postar um comentário

Contador

Este blog possui atualmente:
Comentários em Artigos!
Widget UsuárioCompulsivo

Top Comentaristas

Widget UsuárioCompulsivo
Blog Widget by LinkWithin

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO